segunda-feira, 9 de janeiro de 2012

Pedais de efeito para guitarra: do que realmente você precisa?


Uma breve história (se não tiver paciência de ler, pule direto para a seção “Do que eu realmente preciso?”)
Neste ano novo iniciei revendo conceitos.  Estou repensando as decisões que tomei em 2010 e espero que isto possa me guiar em 2011. Em 2010 dei início a montagem do meu setup de pedais e consegui adquirir bastante coisas.
Alguns comprei bem em conta (usados porém funcionando muito bem), outros comprei mais caros, pois não encontrei outros mais baratos que me agradassem e novos comprei um pedal de Wha e um hardcase. Não tenho dúvidas de que fiz bons negócios, mas percebi que poderia ter comprado menos pedais, ou tê-los comprado numa ordem diferente e ter feito um negócio melhor ainda.
A minha decisão de começar a montar meu set de pedais partiu de uma análise do que eu já tinha em mãos: uma guitarra e um amplificador bons e um pedal de distorção bom, mas que não atende minhas necessidades. A guitarra é uma Fender Stratocaster mexicana, o amp um Peavey Studio Chorus 210 e o pedal que eu tinha no final de 2009 era um Boss Mega Distortion.

Boss Mega Distortion - MD-2 (vai de uma distorção moderada à uma pancada total, tem um som bem áspero)
Só com guitarra e Amp eu já conseguia tirar muitos sons que gostava, tanto clean quanto distorcido. O pedal de distorção até que foi bem legalzinho no começo. Eu tinha acabado de trocá-lo em uma V-amp 2 e estava muito satisfeito. Mas hoje vejo que se eu tivesse trocado a V-amp 2 em outro pedal de distorção ou se a tivesse vendido, teria sido muito mais útil.

Da direita p/ a esquerda: Boss Mega Distortion - MD-2 > Marshall Jackhammer - JH1 > Boss Chorus Ensemble - CE-5> Black Snake Digital Delay > Black Snake Phaser (hand-made baseado no MXR Phase 90) > Black Snake Booster.

Começei então a montar meu set de pedais comprando um booster da Black Snake, só para dar ganho na hora do solo, esse pedal me atende bem.




Black Snake Booster





A seguir, tive a idéia de adquirir um outro pedal de distorção/overdrive para usar na função overdrive, pois eu já tinha o Boss MD-2 para distorção. Esse pedal é um Marshall Jackhammer 1. A princípio gostei do pedal, mas hoje, vejo que ele pode ser muito melhor, depende da regulagem.









Marshall The Jackhammer - JH-1


Tomei a coragem de comprar um pedal de Wha, um Dunlop Cry Baby GCB-95. Este eu comprei novo por R$ 450,00. É um pedal muito bom, mas não é true-by-pass, ou seja, ele acaba degradando um pouco o sinal da guitarra e não tem o indutor Fasel, que oferece os clássicos sons de wha. Ter comprado esse pedal foi um de meus maiores arrependimentos. Não porque o pedal seja ruim, muito pelo contrário, mas é que um pedal com indutor RED Fasel teria realmente atendido meu gosto timbrístico (meu e da torcida do Flamengo). Além disso, R$ 450,00 não é pouca grana pra fazer uma escolha errada.

O pedal é muito bom, mas seria bem melhor se fosse true-bypass e tivesse o indutor Fasel (para um som mais vocálico)
Depois, enfiei na cabeça que eu precisava de um Chorus, para sons limpos. Comprei um Boss Ce-5, Chorus Ensemble. E um pedal muito bom, mas até hoje não consegui usar muito o Chorus na minha banda.

Boss Chorus Ensemble - CE-5

O próximo pedal que adquiri foi um Phaser, da Black Snake. Este pedal é realmente um handmade muito bom. A idéia de adquiri-lo surgiu enquanto eu estava tocando uma música do Van Halen só com o pedal de Distortion ligado e pensei: Ah! se tivesse um Phaser!. Comprei este pedal, mas, a não ser que você tenha uma banda cover de Van Halen, ou toque rock psicodélico, não vai usar tanto assim o phaser. Eu mesmo não o utilizo muito.




Black Snake Phaser (baseado no MXR Phase 90)


Pesquisando em foruns na net, ouvi falar muito da importância do delay em solos distorcidos e pra dar uma molhada em sons limpos. Botei na cabeça que era hora de comprar um delay. Achei um pedal da Black Snake usado e como o preço estava muito em conta (R$ 70,00  usado) acabei o comprando, foi uma das minhas melhores aquisições, não sei como eu conseguia viver sem o tal do delay.



Black Snake Digital Delay





Hoje, percebo que, seu eu tivesse estipulado alguns critérios básicos, teria montado meu set muito mais rápido, com pedais melhores, e seguindo uma outra ordem cronológica de compra. Veja mais no tópico abaixo:
Do que eu realmente preciso?
Talvez você já tenha se feito esta mesma pergunta. Bom, com a pouca experiência que hoje eu tenho de montagem de set posso dizer o seguinte: pense primeiramente no(s) estilos de música que pretende tocar com uma banda.
Classic/ Hard Rock
Como sugestão para tocar Classic ou Hard Rock experimente começar comprando um pedal de Distortion/Overdrive, a seguir um de Delay e um de Wha-Wha. Depois pode entrar aí um pedal de modulação, tal como um Chorus ou um Phaser, o que vai depender muito do seu estilo e da proposta da sua banda. Mas o set básico seria, em ordem de aquisição: Distortion/Overdrive, Delay e Wha-wha. O resto é complemento. Sugestões: Fulltone OCD, MXR Distortion, Pro-co Rat, Boss DD-7, Line 6 Dl4, Cry Baby Classic.
Blues
O setup básico de Blues deve incluir um Overdrive (de leve a hot) e um delay, talvez um compressor pra dar um punch no som. Nada tão extremo quanto um pedal de distortion. Pedais de modulação podem servir a uma proposta mais alternativa.Sugestões: Overdriver: Boss Blues Driver e Ibanez Tubescreamer; Delay: Line 6 DL4, Danelectro Dan-echo;
Country
Para country, não tem muito segredo. Para sons limpos o setup básico é um compressor e um delay. Um pedal de overdrive moderado pode ser usado para country-rock. Um pedal de volume pode ser usado para simular um Lap-steel. Sugestões:Overdriver: Ibanez Tubescreamer; Delay: Boss DD-7; Compressor: MXR Dynacomp;
Heavy Metal
Para tocar Heavy Metal, sem dúvida alguma é interessante ter uma distorção matadora, que ao mesmo tempo se apresente pesada, de alto ganho e pelo menos um pouco áspera. Um delay pode ajudar a dar uma embelezada em solos. Um chorus pode vir a ser usado em algumas músicas e um compressor pode cair muito bem pra dar uma “empurrada”, um up nos solos. O compressor também ajuda muito na execução de tappings. Sugestões: Distortion:  Sansamp Gt-2, Boss MD-2, Boss Metalzone, Electro Harmonix Big Muff, MXR Fullbore Metal. Compressor: MXR Dynacomp, Boss Cs-3; Delay: Boss DD-7, Line 6 DL4; Chorus: Boss Ce-5, MXR Black Label Chorus; Electro Harmonix Small Clone.
Pop
A música pop varia muito, mas talvez seja a que mais utiliza de uma imensa gama de efeitos em suas produções musicais. Se a sua praia é pop, começe por um bom overdrive e começe uma pesquisa por suas bandas favoritas até encontrar os tipos de efeitos que cada guitarrista usa. O mais importante é entender as classes de pedais, pois isto facilita demais o trabalho de pesquisa.
Reggae
Muito simples, em ordem de compra: overdrive leve, wha-wha (de preferência com indutor Fasel, para um som mais vocálico), um delay e um compressor.
Funk
O bom e velho Funk setentista, não esse funk carioca. Pode seguir uma configuração bem parecida com a do Reggae, com uma atenção especial para um pedal de phaser, que pode resultar em sons bem legais de funk.
Guitarristas que fizeram história usando certos tipos de pedais:
Outra maneira de guiar a compra dos seus pedais é observando o que seus guitarristas favoritos costumavam usar. Lembre-se que antes de qualquer coisa você deve escolher muito bem seus pedais de ganho OD/Distortion:
The Edge – U2: Delay (Electro Harmonix Memory Man), E-bow (Especialmente na música With or without you);
Richie Sambora – Bon Jovi: Talk Box, Chorus, Flanger, Phaser;
Slash – Guns N’ Roses: Talk Box, Cry baby signature;
Stevie Ray Vaughan: Wha Vox, Tubescreamer;
David Gilmour – Pink Floyd: Phaser e Delay bem psicodélicos;
Jimi Page – Led Zeppelin: Phaser bem psicodélico;
Jimi Hendrix: Fuzz Face, Classic Cry Baby Wha;
Eddie Van Halen – Van Halen – Phaser EVH, Flanger;
Tom Morello – Rage Against the Machine, Audioslave: Delay DL4, Phaser e Whammy Digitech;
Categorias de pedais
Ganho: aumentam o ganho de com em alguns decibéis. O que muda entre eles é seu modo de funcionamento e resultado final. Ex.: volume, wha-wha, distorção, overdrive, booster;
Dinâmica: exercem um papel de reguladores das ondas sonoras. Podém aumentar ou atenuar frequências e ajudam a manter o som dentro de certos parâmetros esperados. Ex.: compressor, noise gate, equalizer, limiter;
Ambiência: simulam ambientes e as reflexões que estes produzem. Ex.: delay, reverb;
Modulação: são os efeitos que mais alteram o sinal de áudio. Encontrei estes conceitos no site http://www.dicio.com.br/modulacao/
Significado no campo musical: Variação, no tempo, da característica de uma onda (amplitude, fase, freqüência) de acordo com um princípio imposto;
O significado acima do termo modulação se aproxima metaforicamente do adotado no campo da teoria das cores: Em pintura, variação delicada das cores.
Exemplos: chorus, phaser, flanger, phase shifter, tremolo, vibrato, octave, auto-wha, whammy (harmonizer), talk box, e-bow, etc…
Conclusão
Deve ter ficado bem claro uma coisa nas sugestões acima: cada estilo musical pede um tipo de pedal de ganho, seja ele um overdrive ou um distortion. O delay é praticamente unanimidade, de blues, rock, metal, country até U2 ele está presente. O Wha-wha cabe também em vários estilos, mas seu uso é bem específico dentro de cada estilo musical.
É importante ressaltar que, mesmo dentro de uma mesma categoria de pedais, pode haver bastante variação de timbre, assim como certas especificações técnicas que determinam a qualidade do pedal. Os pedais true-by-pass sobressaem aos que tem algum buffer, pois não degradam o sinal original dos instrumentos.
Três tipos de pedais merecem atenção especial na hora da compra:
a) Overdriver/Distortion: Na hora de comprar um pedal desses é importante pensar em alguns conceitos-chave que determinam se o pedal atenderá as necessidades do estilo que você toca. Existem desde overdrives leves até outros bem saturados. Existem distorções ardidas até distorções que parecem muralhas. Existem os Fuzz, e existem efeitos que soam muito processados ou mais naturais. Há 4 palavras que ajudam bastante na hora definir como um pedal desses soa: natural, processado, suave e ardido. Pense nisto.
b) Wha-wha: seguindo o mesmo raciocínio dos pedais de OD/Dist, pense em quatro palavras-chave na hora de escolher um wha-wha: true-by-pass, buffer, indução (Fasel ou outra) e frequência (espectro sonoro em que o efeito atua – grave, médio ou agudo);
c) Delay: pense principalmente em dois conceitos: tempo de atraso e quantidade de repetições. O tempo de atraso nunca deve ser muito limitado, deve alcançar pelo menso uns 400 ms. Já a quantidade de repetições pode variar até o infinito. Pesquise e boa sorte.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui seu comentário, dúvida ou sugestão: